O que aprendi com a história do filme: O Quarto de Jack

Por Glaucione de Laet

A história começa com uma das expressões mais lindas do mundo Era uma vezEra uma vez antes de eu chegar, você só chorava o dia inteiro vendo tv e eu desci da claraboia até o quarto, e eu estava te chutando por dentro bum,bum,bum. E daí eu saí no tapete com os olhos bem abertos e você cortou o cordão e disse olá Jack

579884-635x420-1

No domingo passado estava assistindo ao Oscar e torcendo muito por um filme que assisti e gostei: Room, no Brasil ele ganhou o nome de O quarto de Jack. Ele é baseado num romance da escritora Emma Donnoghue e adaptado pela própria autora. No fundo eu sabia que ele não iria ganhar como melhor filme concorrendo com os outros filmes que também eram muito bons. Embora, na categoria de melhor atriz, eu poderia apostar que a protagonista (Brie Larson) seria a campeã. O que aconteceu e me deixou muito feliz. O ator mirim Jack (Jacob Tremblay) também merecia uma indicação por sua atuação. O filme conta a história de Joy uma adolescente que foi sequestrada por um homem chamado Nick (Sean Bridgers). Ela passa sete anos confinada em um quarto no quintal da casa dele. No quarto que mais parece um barraco, a única vista pra fora é de uma claraboia (janelinha de vidro que fica no teto). Sendo privada de sua liberdade, de seu próprio corpo e de sua vida. Lá ela tem um filho com nick, o Jack, nele ela encontra as forças necessárias para ser a melhor mãe do mundo, dada as circunstâncias. O drama é pura emoção do começo ao fim, mesmo quando você acha que o clímax chega a história volta a ter outros dramas. Ele me emocionou muito pelo fato de contar uma história baseada em fatos reais, mas ainda mais por trazer o universo infantil de uma forma tão encantadora e tão forte ao mesmo tempo. O que percebi no filme O quarto de Jack em relação ao olhar de uma criança e o olhar de uma mãe, que por instinto, sabe o que é melhor pro seu filho, compartilho.

  • É preciso reinventar um mundo mais otimista quando em nosso mundo não há perspectivas.

  • Não importa onde você esteja, sua criança te dá forças pra você suportar a situação.

  • Fazer alongamento e exercício físico todos os dias, mesmo sem espaço.

  • Fazer carinho sempre.

  • Se não possuímos tudo o que queremos podemos usar a criatividade.

  • Fazer coisas gostosas juntos.

  • Uma mãe pode alfabetizar seu filho.

  • Pode-se dar pequenas tarefas pras crianças desde cedo.

  • Ensinar com atitudes que não devemos pensar muito na dor “se você não liga, não importa”

  • Não precisamos ler somente livros infantis pras crianças.

  • Quando você canta com amor e conta histórias com sua alma, ela alimenta a alma do outro. “você é a melhor para ler histórias e cantar canções ”

  • As coisas podem não existir em seu mundo, mas a companhia de quem amamos é que mais importa. “mas eu e você existimos”

  • Criar um universo paralelo ao mundo real é uma alternativa para que a criança seja poupada de uma situação real de dor profunda.

  • Falar a verdade da maldade do mundo quando for necessário.

  • Dar as coordenadas detalhadas à criança, mesmo que ela não siga da mesma forma, acreditando que no final vai dar tudo certo.

  • Não se pode impedir as malcriações, mas pode-se confrontar, dar um tempo pra assimilar, abraçar e perdoar sempre que for preciso.

  • Os pequenos podem dizer que você é chato e que te odeia, quando contrariados, porém a semente plantada germina mesmo com dor. “Eu odeio você!”

  • Na hora certa a mãe apresenta o mundo, prepara a criança pra o mundo e mesmo morrendo de medo ela quer que o filho veja o mundo, mesmo que a liberdade também seja difícil de conviver. “Você vai amar o mundo”

  • Se você já acha que fez tudo pelo seu filho, não se engane, ainda é só o começo.

  • Muitos vão te criticar “isso foi o melhor pra ele?” e as críticas das pessoas podem te ferir muito até quase te matar, se não se cuidar. Mas continue tentando fazer o melhor e continue o caminho, a missão.

  • As coisas simples são importantes para os pequenos. Seja uma aranha na teia, o amigo imaginário, um labirinto de rolo de papel higiênico, ver uma pareidolia na tomada, as brincadeiras de sombra, imaginar lunetas no fundo de um copo, os desenhos, um colar de casca de ovo ou um barquinho de papel tudo pode ter significado.

  • É evidente que não se pode passar todo o tempo com uma criança, mas que não seja preciso que te tranquem num quarto para que você passe um tempo de qualidade com os pequeninos.

tem tanto lugares no mundo, tem menos tempo porque o tempo tem que ser espalhado por cima de todos os lugares como manteiga. Só o que as pessoas dizem é depressa, vamos logo, ande mais rápido, Termine já, o quarto era bom porque a mãe estava sempre lá”

Anúncios

Um comentário sobre “O que aprendi com a história do filme: O Quarto de Jack

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s